FAAP/AGAP na Mídia

Veja as notícias do Sistema FAAP/AGAP divulgadas nos meios de comunicação

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

10/04/2013 - JORNAL BRASIL

Federação de Atletas Profissionais busca apoio do Ministério do Esporte

O campeão da Copa do Mundo de 1970 e presidente da Federação das Associações de Atletas Profissionais (Faap), Wilson Piazza, e os ex-jogadores de futebol e deputados federais Deley (PSC/RJ) e Danrlei de Deus (PSD/RS) foram recebidos na manhã desta quarta-feira (10.04) pelo ministro do Esporte, Aldo Rebelo. Eles discutiram questões referentes à assistência social e educacional a atletas.

As reivindicações dos deputados e do presidente da Faap já fazem parte da Lei Pelé (9.615/98), regulamentada na terça-feira (09.04) pelo decreto nº 7.984/13, que concede benefícios aos atletas profissionais, ex-atletas e atletas em formação. “Queremos o apoio do ministério para o cumprimento da lei que já está em vigor, e sabemos que o ministro é sensível à causa”, disse Piazza.

O presidente da Faap diz ficar chateado com a realidade de alguns colegas, principalmente aqueles que ajudaram a construir a imagem positiva do país pentacampeão mundial de futebol e hoje estão esquecidos. “É preciso dar oportunidade e alternativas de qualificação a esses atletas”, disse.

Segundo Piazza, os jogadores precisam de apoio para que, após o fim da carreira, tenham recursos para se manter. “É necessário contar com outras atividades e meios de sobrevivência, pois muitos não têm estrutura para tocar a vida, às vezes nem a base familiar”, frisou.

Copa Quanto às expectativas para a Copa do Mundo, o ex-craque afirmou que o brasileiro é sempre otimista: “Acredito que o Brasil, ao sediar uma Copa do Mundo, faça prevalecer a história de pentacampeão mundial, de país do futebol e consiga dar ao brasileiro uma grande alegria”.

Wilson Piazza espera que os jogadores brasileiros tenham consciência de que servir à seleção é uma honra, um compromisso assumido perante a sociedade e o torcedor. “Eu sempre digo que o futebol representa um bem social, e esse bem tem de ser valorizado”, concluiu.

Fonte: Ascom – Ministério do Esporte

 

 

06/04/2013 - JORNAL ESTADO DE MINAS

 

RUMO À PRIMEIRA MORTE

'Falta consciência de classe'

    

Euler Junior/EM/D.A Press  
Sem recursos, entidade presidida por Piazza pode fechar as portas
 
Bruno Freitas
No momento em que a aposentadoria não pode ser mais driblada, um lance oportuno. Ex-jogadores desempregados e sem os 15 anos de contribuição exigidos pelo Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) têm a chance de viver um recomeço por meio de um programa de assistência social capitaneado por quem já esteve dentro das quatro linhas: Wilson da Silva Piazza, capitão do Cruzeiro nas décadas de 1960 e 1970, e tricampeão mundial pelo Brasil em 1970. O baixo número de solicitações do Cidadania e Previdência (média de 40 por ano) e o desconhecimento dos atletas, contudo, têm frustrado os planos de quem está à frente do programa. Sem recursos, a Federação das Associações de Atletas Profissionais (FAAP), entidade civil sem fins lucrativos presidida pelo ex-craque, corre o risco de fechar as portas.

 


“Às vezes, o atleta chega aos 55 anos exigidos pelo programa, mas não tem o número dos documentos de contribuição. Infelizmente, os atletas são mal informados, desligados e falta esclarecimento. Esperava um número maior de solicitações, mas alta consciência de classe”, reclama Piazza.
Na avaliação do ex-volante, embora o futebol seja um esporte coletivo, os ex-jogadores são muito individualizados. Ele sustenta que a política atual tem prejudicado o aumento do número de contribuições. Somente ex-jogadores podem ser atendidos pelo programa, porque a legislação especifica como profissionais somente os atletas com contrato registrado pela entidade nacional de administração, no caso a CBF. “É preciso criar um sistema eficiente para a qualificação alternativa do atleta. Já formamos vários como preparador físico, fisioterapeutas e até mesmo advogados, mas o atleta só pensa no presente. A maioria não pensa no futuro, achando que terá uma vida financeira tranquila, e não vai”, alerta.

 


Desde que foi criado em 2010, o programa beneficiou cerca de 60 ex-atletas profissionais, nenhum de Minas. A principal meta da entidade agora é recuperar os recursos perdidos depois da promulgação da Lei 12.395/11, que alterou a Lei Pelé reduzindo os direitos de arena dos atletas de 20% para 5%. “Ninguém questionou isso. Todos foram coniventes. Tampouco houve manifestações de atletas de nível para contestar esse abuso”, lamenta.
A entidade, aponta Piazza, corre o risco de fechar. “Existe a legislação, mas clubes e federações não a têm cumprido. Temos de entrar na Justiça para ir atrás dos recursos. No Brasil é assim. A gente faz isso como contribuição, não recebendo salário, e mesmo assim não tem a reciprocidade e a atenção devida pelo próprio governo. O atleta sai sempre perdendo.”

 


CREDENCIADOS A SE APOSENTAR
O ex-atleta pode solicitar o beneficio nas sedes das Associações de Garantia ao Atleta Profissional (AGAPs). Nas cidades onde não houver uma, a solicitação pode ser feita diretamente pelo site da FAAP (www.faapatletas.com.br), enviando a documentação via Correios.
Para ser atendido pelo Cidadania e Previdência, o candidato necessita ter no mínimo 55 anos, três dos quais como atleta profissional.

 


Documentos exigidos
Cópia autenticada da carteira de identidade e CPF ou Carteira Nacional de Habilitação (CNH) Cópia autenticada de contratos de trabalho devidamente registrados na CBF ou Federação Estadual, comprovando tempo mínimo de três anos de atividade profissional Simulado de contagem de tempo de serviço/contribuição, fornecido pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para fins de aposentadoria Cópia dos números de Identificação do Trabalhador (NIT), Programa de Integração Social (PIS) e Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP), que podem ser adquirido nas agências do INSS Cópia do formulário de requerimento disponível no site da FAAP (www.faapatletas.com.br)

Mais informações: AGAP-MG: Rua Uberaba, 370, 11ºandar, Barro Preto, Belo Horizonte; Tel.:(031) 3295-3677/3295-3599; E-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo. .
FAAP: SBS Quadra 02, Lote 15, Edifício Prime, Salas 801/805, Brasília/DF; Telefax (61) 3349-7475; E-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.

 

 06/04/2013 - RÁDIO CÂMERA

O programa Lance Legal de sábado (6/4) recebe o ex-craque da Seleção Brasileira Wilson Piazza, campeão mundial na Copa de 70. Atual presidente da Federação das Associações de Atletas Profissionais (FAAP), Piazza comenta os problemas enfrentados pela categoria na hora de se aposentar. Muitos ex-jogadores ficam sem assistência no fim da carreira e passam por dificuldades. Além de bolsa estudo e auxílio saúde, a entidade dirigida pelo craque oferece também planos de financiamento de previdência para jogadores que deixaram a ativa. O plano contempla ex-atletas com mais de 55 anos, que ainda não completaram 15 anos de contribuição à Previdência Social. O sistema FAAP oferece recursos financeiros para completar o tempo de contribuição, beneficiando atletas profissionais que comprovem pelo menos três anos de atividade.

Apresentação: Verônica Lima

 

 

Share
 

Pesquisa

Formulários

FacebookTwitterYoutube

Pleitos atendidos

Projetos da FAAP

Banner
Banner
Banner

Informativo

Cadastre-se para ter acesso aos nossos Relatórios e informativos.



Quem está online

Nós temos 22 visitantes online